Páginas

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

< B-sides da Coleção > Entrevista com a designer de moda Renata Vivan

@RehVivan uma das designers mais votadas no Projeto B-sides da coleção!


"“Mas você é tão inteligente, poderia estar fazendo outra coisa.” Não, eu não poderia estar fazendo outra coisa porque a moda não se resume a um evento ou um desfile. É muito mais que isso. É um sistema que alimenta a sociedade capitalista, que alimenta o desejo de renovação das pessoas. A moda é um dos canais pelo qual as pessoas podem se expressar, mostrar quem elas realmente são."


Fontes de inspiração de Renata:


"Os elementos presentes na foto me definem. O cachecol com touca é um trabalho autoral, feito na segunda fase do curso, ele resume bem quem eu sou. Tímida, fechada no exterior, mas dentro da minha zona de conforto, sou extrovertida, engraçada... Sou apaixonada por seriados, assisto em escala industrial, tenho um blog voltado para o assunto, sou colaboradora em outro, e se pudesse, passaria o dia inteiro assistindo séries. Também sou louca por filmes, principalmente os clássicos, mas costumo dizer que gosto de todos, dos bons, dos meio-termos, dos ruins. Os livros me acompanham desde pequena, uma das grandes paixões da minha vida é a leitura. Amo a pop-art, e acredito que meu trabalho é bem influenciado por ela. Os marcadores são a minha técnica favorita. Uma das formas que achei para me atualizar nas tendências, além de sites e blogs, foram as revistas."



1)Quando descobriu que gostaria de cursar moda/ Quando se interessou por moda?

Para ser bem honesta, moda nunca foi uma opção para mim. Eu não conseguia ver nada além de jornalismo, mas quando tive que escolher um curso para prestar o vestibular da UDESC (que não tem o curso de jornalismo), eu tinha certeza de tudo o que eu não queria, exatas e saúde, então comecei a me abrir para a possibilidade dos outros cursos. Acabei escolhendo moda por ser uma área abrangente, que mexe com a criatividade e também porque tenho familiares com negócio na área, mas nenhum com formação acadêmica. Não passei no vestibular de jornalismo da UFSC, então comecei a cursar moda na UDESC, onde eu havia passado, e desde então sou apaixonada pelo mundinho fashion. Hoje não me vejo fazendo jornalismo, ou qualquer outra coisa.

2)Como é seu processo de criação?

É complexo, confuso e bagunçado. Depois da escolha do tema e de muita pesquisa, tenho que ter muitos papéis, fazer muitos organogramas, o que dá uma falsa idéia de organização, e sempre tenho que ter um barulho ao fundo, algo que, a princípio, me roubaria a atenção, como música, televisão, filme... Em um local de silêncio não consigo me concentrar, focar na criação, ou em qualquer outra coisa. Não acredito que qualquer outra pessoa conseguiria entender de onde eu parti e em que lugar cheguei só de olhar as folhas rabiscadas com o tal ruído ao fundo. É uma espécie de caos criativo.

3)Qual/quais técnicas de pintura/desenho usou no seu trabalho?

Utilizei o contorno dos desenhos em lapiseira 0.9mm, pintei os croquis com lápis de cor metálico, destaquei algumas partes com esmalte e finalizei com giz pastel seco.

4)Que carreira pretende seguir dentro da moda?

No momento estou inclinada a seguir a área de imagem e comunicação de moda. Também acho a área de produção muito interessante. Ainda estou avaliando minhas opções, a única área que acredito que não devo seguir é a criação, nunca me interessei muito por ela e não me vejo como criadora de moda.

5)O que acha do mercado de moda?

É um mercado em expansão, a cada dia que passa a moda ganha mais espaço, apesar do preconceito que ainda há contra aqueles que trabalham na área. Mas acredito que isso aconteça devido à precocidade da moda brasileira, que está começando a ganhar identidade. Com o amadurecimento da mesma, os brasileiros entenderão a importância que a moda tem na vida de todos. O sistema de moda é vital para manter a sociedade capitalista.

6)Uma reclamação para fazer à Moda:

Não reclamo do sistema, mas das pessoas que ainda consideram a moda como algo fútil e desnecessário. “Mas você é tão inteligente, poderia estar fazendo outra coisa.” Não, eu não poderia estar fazendo outra coisa porque a moda não se resume a um evento ou um desfile. É muito mais que isso. É um sistema que alimenta a sociedade capitalista, que alimenta o desejo de renovação das pessoas. A moda é um dos canais pelo qual as pessoas podem se expressar, mostrar quem elas realmente são. E é necessário muita inteligência e esforço para se manter no mundo da moda, a quantidade de estudo, pesquisa e trabalho que é exigida de um profissional da área é imensa.

7)Um elogio para fazer à Moda:

Amo o fato de a moda ser tudo isso que ela é, inovadora, poderosa, desafiadora.


Veja a mini-coleção de Renata para a 1a edição do projeto b-sides da coleção, aqui
Contato: twitter @RehVivan

Nenhum comentário:

Postar um comentário