Páginas

sábado, 23 de outubro de 2010

Art Dèco & party nights looks



Vestido de cetim de seda com passamanarias bordadas - Raquel Provenza

Vestido Degradè Crepe de seda bordado - aluguel http://instintoelegante.com.br/ ,RJ

Vestido Cetim Estampado - Raquel Provenza

Blusa jersey preto recortes geométricos - acervo
Saia pareô bamboo - Raquel Provenza
Broche art deco - acervo da mãe

Blusa com aplicação e saia longa cintura alta - acervo


Sugestões de bolsas:
Bolsa de prata- acervo da vó
Carteira tecido com aplicação - Accessorize http://www.accessorize.com.br/
Carteira brilhos prateada - Accessorize http://www.accessorize.com.br/



A INSPIRAÇÃO:
Paul Poiret, suas festas e Art Dèco:
francês, (1879-1944)
Foi considerado o King of Fashion.
Poiret começou a desenhar vestidos enquanto trabalhava numa fábrica de guarda-chuvas, em meados da década de 1890. Em 1898, foi contratado como aprendiz do costureiro Jacques Doucet, de quem absorveu muitas estratégias das quais usou mais tarde, como ter suas criações usadas por atrizes famosas. Sarah Bernhardt foi uma delas. Em 1901, ele deixou o ateliê de Doucet e foi trabalhar com Charles Frederick Worth, o estilista que dominou a moda francesa no fim do século 19. Poiret abriu o próprio ateliê em 1903.
Libertou a mulher do espartilho, usando sempre drapeados,tecidos fluidos e formas do movimento artístico art deco (Edifícios, esculturas, jóias, luminárias e móveis são geometrizados).
Apaixonado por pintura, ele foi o primeiro a usar a arte moderna para representar suas criações.
Promovia festas temáticas, e as fantasias e roupas principais eram feitas para a sua esposa, sua musa inspiradora usar.
Em 1910, o Ballets Russes apresentou em Paris ´Sherazade´, coreografia baseada nas histórias persas ´As Mil e Uma Noites´; no ano seguinte, Poiret fez o seu ´A Milésima e Segunda Noite´, no qual os convidados que não viessem a caráter ou iam embora ou usavam roupas cedidas pelo dono da f
esta, entre as quais as calças Harem da sua coleção de primavera. Como a favorita do sultão, sua esposa Denise
usou uma delas por baixo de uma túnica aramada que, por sua vez, entrou na coleção de 1913.
Essas eram uma de suas inspirações: O oriente.
Mais tarde Poiret perdeu seu reinado para Chanel e junto com ele todo o seu brilho e colorido característico.
Conta-se que, ao encontrar a estilista na rua toda vestida de preto, Poiret quis fazer piada e lhe perguntou: ´Por quem a senhora está de luto, madame?´ Ao que a ferina Chanel teria respondido: ´Pelo senhor, monsieur.´

A PROPOSTA DOS LOOKS:
Vestidos longos e fluidos, peças com tecidos leves para noites de festa agradáveis.
O enlace do orientalismo observado no art deco e nas criações de Poiret fizeram-se presentes nos drapeados, na saia pareô, nas levezas dos tecidos, classicismo, longos, vaporosos, carteiras de acessórios em materiais mais rígidos como o metal e no turbante, super oriental e caracteristica marcante nas cabeças das bonequinhas de Poiret. Destaque, também para as saias ou calças vaporosas e longas de cintura alta para festas.

Abaixo nossa dica de como amarrar o lenço e transformá-lo em um turbante:


PARA LER ESCUTANDO: The Hellsongs - Princess of the night:


StepbyStep Turbante: via RevistaCriativa
Imagens dos artistas: Paul Poiret e George Barbier


Um comentário: